Sexta, 20 de Maio de 2022
29°

Pancada de chuva

Recife - PE

Anúncio
Geral ASTRONOMIA

Pernambucana de Gravatá, de 17 anos, é uma das primeiras astronautas cadetes do Brasil

A jovem ficará responsável por missões futuras no espaço

17/01/2022 às 11h49 Atualizada em 17/01/2022 às 17h01
Por: Redação
Compartilhe:
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Isabel Lemos, de 17 anos, moradora de Gravatá, no Agreste de Pernambuco, tornou-se umas das pioneiras na formação de astronautas cadetes do Brasil.

Ela viajou para São Paulo aos 15 anos e nos últimos dois anos muita coisa mudou. A jovem pernambucana ficará responsável por realizar missões futuras no espaço, provavelmente na lua ou em Marte. Algo bastante surpreendente, mas totalmente real.

Isabel morou no distrito de Mandacaru, zona rural de Gravatá, onde estudou na Escola Intermediária João Paulo I. Anos depois, a jovem se mudou para a área urbana onde estudou na Escola Amanaydes Farias.

Há dois anos a astronauta mora em Francisco Maroto, região metropolitana de São Paulo, distante 47 km da capital. No início deste ano, Isabel viajou para Brasília (DF) onde teve um encontro com o Astronauta Brasileiro, Marcos Pontes, e uma reunião com o presidente da Agência Espacial Brasileira (AEB), Carlos Moura.

"Estou estudando não só para chegar ao espaço, mas para ajudar agências espaciais e até mesmo o mundo, levando o Brasil e meu estado de coração [Pernambuco] no coração para uma missão na lua, ou até mesmo em marte, como exploradora espacial", disse Isabel.

A jovem astronauta disse que no início muitas pessoas não acreditaram nela, inclusive a própria família: "sempre fui uma garota persistente, não desisti fácil de meu sonho, e sempre vi tudo como uma forma de enxergar meu futuro. Foi muita luta até conseguir mostrar do que sou capaz", completou a aspirante.

Após a conclusão do curso de astronautas análogos, Isabel Lemos deve ingressar em curso universitário de ciências biológicas, pois seu maior interesse é encontrar provas de que em outros plantes é capaz de existir vida, mesmo que microbiana.

A formação dela é uma responsabilidade da WOGEL SPACE LAB, uma das entidades de formação de cadentes mais sérias do Brasil. Agora, a pernambucano precisará de muito incentivo para conseguir avançar nos estudos e capacitações para conseguir chegar ao espaço, algo que para ela está bem ali na frente, já que os primeiros passos já foram dados.

Isabel informou que a NASA também oferece um curso de astronauta na Flórida (USA). Como este curso é realizado fora do Brasil, a jovem tentará buscar ajuda na internet para se habilitar à fazê lo. Por enquanto, a pernambucana quer fazer graduações essenciais para se tornar astronauta e ser contratada por alguma Agência Espacial Internacional.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários